domingo, 22 de dezembro de 2013

Tivemos uma manhã calma. Ficamos os dois em casa, sossegados a brincar e a ver desenhos animados. Tratei do almoço, o pai chegou e brincaram juntos.
Chamei para almoçar, e começou o drama. Não quer comer, nem sentar-se à mesa, tentamos distrair com brinquedos, com histórias... nada! recusa-se a abrir a boca. a única colher que lhe consigo enfiar na boca deita fora. Passo-me da cabeça, grito, e dou uma palmada. Não consigo manter a calma, tem sido assim toda a semana, e eu vou dando desconto, porque está doente, porque vem aí a mana, porque...
Continuamos nesta luta, ameaço... estou claramente a perder o controlo e detesto ficar assim.Ele soluça, e eu penso rápido, se é melhor deixá-lo sem comer, se insito, se o deixo ir para o chão... não sei! talvez não tenha nascido para ser mãe, e já vou ter o segundo. Isso assusta-me. e a proximidade do parto também... e choro descontrolada, saio da cozinha e deixo-o com o pai. O pai consegue ser mais calmo, e isso ainda me irrita mais... proibo de ver televisão, digo que não brinco com ele, que não vai ver os gatinhos, e apetece-me castigá-lo. No meio da confusão e das ameaças, disse-lhe que ia dormir sózinho e sem chuha... é a única coisa que se lembra. e repete aos soluços, eu não vou dormir sem chucha. O pai dá-lhe a chucha e acabo por deitá-lo, e deixo-o a dormir sózinho, e não consigo parar de chorar....
- Porque sinto que sou má...
- Porque estou a ser má mãe e gosto tanto dele que me doi cada palmada, cada grito
- Porque ele é o centro do meu mundo... como é que eu lhe faço isto??
- Porque estou cansada, de não dormir bem
- Porque queria saber lidar com isto... e não sei
- Porque me sinto frustrada e impotente e ele é apenas um bebé... a adulta sou eu
- Porque sei que isto se vai repetir, e não sei como agir...
- Porque sei que lhe devia dar o almoço ao lanche e provavelmente não terei coragem
E choro, enquanto escrevo ente post, porque me sinto a pior mãe do mundo, e detesto ver o meu filho soluçar triste

1 comentário:

Lina Oliveira disse...

Olá Cláudia,

Chama-se a isso ser mãe. Não somos perfeitas - somos mães. Não somos de ferro - cansamo-nos como toda a gente. Talvez mais até. Talvez a "toda a gente" nem sequer saiba da missa a metade. Só nós sabemos o que custam certas coisas. O teu menino está a sentir-se em risco, afinal de contas a mana vem a caminho. Tenta acarinhá-lo. Tenta dizer-lhe que compreendes, mas que gostarás sempre dele, e que os dois juntos vão gostar muito da mana e cuidar da mana. Tenta explicar-lhe, que se não comer ficará doente e não poderá fazer as coisas que gosta. Isto não entra à primeira - mas vai ficando alguma coisa.
Convido-te a espreitares aqui:
http://tantasprofissoes.blogspot.pt/2012/02/os-manos-e-as-birras.html
Todas passamos pelo mesmo, todos os manos passam pelo mesmo. Chama-se crescer!!
Um grande beijinho e não desesperes... Faz parte!