segunda-feira, 30 de julho de 2012

Dilemas de mãe

Ontem foi um dia dilemas! Desde que sou mãe que tenho dias assim. Por vezes todos são assim. Mas ontem começou por algo tão básico como o que lhe vestir para o pic-nic. Se manga curta, se cavas, se ténis ou sandálias. Optei por  cavas e ténis e quando chegamos o vento faz-me arrepender da decisão. Felizmente levei uma mochila cheia de roupa. Uma vez no local a prima de 11 anos insiste em leva-lo até à beira rio para apanhar conchinhas. Fico com o coração do tamanho de uma ervilha, mas cedo porque toda a gente diz que não faz mal e ela é responsável. Acabo por ir para lá também em menos de 10 minutos. Não stresso se ele num dia come menos bem, se dorme menos. Ele passa o dia todo feliz, molha os pés e o resto, muda-se a roupa. Ri e joga à bola. E já no fim dia cai. E eu corro para ele aflita e logo um coro de vozes diz para ter calma e que não é preciso tanta aflição. Mas eu não consigo evitar. Ele chora e ele quase nunca chora e tem o joelho a testa e o rosto arranhado. E eu quase choro porque queria lá ter estado e evitar a queda. Como se pudesse... Lavo-lhe as feridas e consolo-o e ele quer ir para o chão de novo e eu deixo, que remédio... Ao chegar a casa, exausto faz a primeira birra da  curta vida dele. Chora sem parar e tenta atirar-se para o chão e eu mantenho a calma e digo para mim mesma que ele está apenas cansado e falo-lhe calmamente mas também me apetece chorar alto. Toma banho em pranto e depois lá se acalma. E ao jantar dou-lhe um biberon com papa a sentir-me a pior mãe do mundo mas ele está exausto e eu também... E sei que será apenas o inicio de uma vida de dilemas

4 comentários:

Paula disse...

Mas são esses pequenos dilemas, que te vão ajudar a deixá-lo crescer e a moldar o carácter.
Força!

A tua mamã! disse...

Isso é perfeitamente norma mas tens que deixar de dar tantos ouvidos às outras pessoas, tu és a mãe dele e tens que fazer o que achas melhor para ele! Eu só comecei a relaxar quando deixei de dar ouvidos a terceiros e fazer o que bem entendia.
Ainda este sábado, tivemos amigos na piscina da avó, ele não quiz dormir a sesta, e nós cedemos à vontade dele, afinal era fim de semana e estamos em epoca de férias. Á hora de jantar aqueci-lhe a sopa e ele claro morto de sono não comeu, encostou-se à avó e adormeceu, não me preocupei, deitei-o e deixei-o dormir! Dormiu 2horas e voltou a acordar, comeu a sopa brincou, claro que só adormeceu à meia-noite e meia mas e então?! Sei que algumas pessoas me criticariam por ter feito isto mas sinceramente não me interessa, a mim interessa-me que ele seja feliz e sei que naquele dia ele foi muito feliz! Não fazemos isto como regra mas exceção, eu sou mãe dele e não há ninguém que lhe queira melhor que eu! Em relação às quedas, Não importa que ele caia, faz parte da vida e do crescimento, o mais importante é estares lá para o ajudares a levantar! O que os outros dizem a mim entra-me a 100 e sai a 200, para não ter que lhes responder... Relaxa tu es uma mãe maravilhosa!

Mamã da Caroxinha disse...

Sabes Cláudia são estes dilemas que fazem parte da nossa vida de mãe e que ajudam os nossos filhos a crescer saudáveis e com carácter...
Segue o teu coração e não dês tantos ouvidos ao que os outros dizem, tu sabes o que é melhor para o Rafael. E as quedas por muito que nos magoem infelizmente fazem parte do crescimento deles...
beijokas

disse...

eu apareço pouco..mas gosto de te ler sempre que posso, este post em especial disse-me muito e por isso hoje vou comentar ;)!

dilemas nem é o pior...isso resolve-se e se agora levas uma mochila cheia de roupa porque tens medo de não acertar na escolha, daqui a 2 anos só és bem capaz de não levar nada e depois ele molha-se e olha...
e se hoje levas tudo e mais um par de botas, cada vez mais começas a levar só o que precisas...
e se hoje corres quando ele cai, daqui a uns tempos já vais esperar que ele se levante..
estás a aprender e tudo isso é normal, e para poderes viver este tempo e essa aprendizagem em pleno tens de deixar de pensar se estás a fazer bem ou não - estás de certeza a fazer o teu melhor e tal como o Rafael está a aprender a falar, a socializar, a defender-se, etc tu também estás a aprender..

olha eu opto por observar e analisar os comportamentos, hábitos e truques das outras mães e depois adoto o que me é mais confortável para mim, para a minha personalidade e para as necessidades da minha filha – no meu caso sou super descontraída, mas quando ela nasceu deixei de o ser, tenho vindo a reconquistar esta minha maneira de estar na vida e agora já ouço imensa gente a dizer-me que sou uma mãe muito descontraída (o que é bom para todos pois alivia a pressão e principalmente deixa muito tempo para os risos, brincadeiras e miminhos!!!)

outro conselho que te dou é BOM HUMOR às carradas…Claudia…a “temporada” das birras aproxima-se…e a melhor forma de lidar com isso sem ficar doida varrida é com muuuiiitooo sentido de humor, mas nunca à frente dele!
Ri-te com o marido quando o Rafael não estiver presente, conta às amigas de uma forma exagerada e cómica e pensa que um dia vai passar!
E lembra-te…todos nós fazemos birras, até os “crescidos”, por isso o Rafael tem todo o direito à birra, porque está a aprender a gerir as suas emoções e os pais estão ali para o ajudar..tantas vezes eu disse à Margarida “filha, é normal fazeres birras…estás a aprender..a mãe está aqui para te ajudar a lutar contra a Dª Birra!”

Claudia..desfruta o tempo que estás a passar…ele não volta mais…