quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Da vida

Temos tendência a dar como certas a maioria das coisas na nossa vida. O emprego, o casamento, os filhos, os amigos, e uma centena de bens materiais...
Mas na verdade na vida tudo é precário, nunca sabemos se é para sempre, se as pessoas cá estarão para sempre, firmes e consistentes na nossa vida, quanto ao emprego, bem... aí é muito mais comum. Eu, por exemplo, nunca imaginei chegar aos 38 anos assim, sem um emprego certo, sem um ordenado digno, trabalho desde os 18 e o que ganhei? Anos de experiência que me servem de muito pouco. 
Não desgosto de não ter horas para deixar os meus filhos e para os ir buscar, agrada-me até ter tempo para mim, mas de que me serve se a parte financeira fica comprometida?

Neste país não se valoriza nada. Sinto-me muito frustrada com a vida, com o que não consegui, com o que tomei como certo...

2 comentários:

Nádia disse...

Percebo-te bem... Sou mais nova mas nunca pensei que nesta altura da minha vida ainda não tivesse nada encaminhado.

Timtim Tim disse...

Entendo-te, apesar de ter a sorte de ter um emprego. No entanto, penso que não deves desanimar. Ainda és muito nova.