segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Fui mesmo...

...à tal entrevista. Foi bom! Fiz testes, duas entrevistas e entre 30 fomos seleccionadas duas. Trata-se de uma cadeia de ginásios que vai abrir uma sucursal em Almada. Mas não fiquei, tive de dizer que não. Por duas razões: 1º - ía receber menos do que ganho de subsídio de desemprego e 2º - eram contratos mensais, o que significava que depois de ter o Rafael, ficava em casa os meses que fossem precisos e não recebia nada. É pena, porque eu queria mesmo trabalhar, mas tenho de pensar também na nossa estabilidade financeira. Daqui a um aninho (ou antes), pode ser que apareça uma nova oportunidade.

4 comentários:

Mami ( Sónia ) disse...

Nesta altura mais vale esperar que ele nasça. É o que eu vou fazer, claro que gostava de ir trabalhar mas quem dá trabalho a uma gravida???

Mamã do Príncipe Pipoca disse...

Ai!!É tanto aproveitamento desta falta de emprego!!!...essa dos contratos mensais é a nova moda!

Claudia disse...

Olha mami... em Portugal ninguem. A semana passada ligaram-me de 4 gabinetes e quando voltei a frisar que estava grávida desligaram. E os estrangeiros só dão trabalhos percários. É dificil estar sem trabalho até para o ego :-( mas em termos monetários com o que nos pagam ainda poupamos em casa. pelo menos durante a gravidez.

Tany disse...

É pena, mas tomaste a decisão certa.

Bjs*